quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

O QUE É A ORAÇÃO?

James W. Beeke e Joel R. Beeke

Você está prestes a embarcar numa jornada através da parte mais importante da vida e experiência cristãs, o desenvolvimento de uma vida saudável de oração. Então, o que é a oração?

A oração é o ato de estabelecer uma ligação entre dois pontos bem específicos: as nossas necessidades humanas e os recursos que Deus nos oferece em Cristo. Você pode começar em qualquer um dos pontos e chegar ao outro na oração.

Os verdadeiros cristãos têm descoberto que Deus, em Cristo, oferece-lhes graça, misericórdia, perdão, paz, vida e amor. Isto é revelado no evangelho ou “boas-novas” de Jesus Cristo (2Pedro 1.2-4). E os verdadeiros cristãos têm experimentado o quanto precisam dessas coisas – de fato, como o coração clama por elas em oração (Salmo 84.2).

A oração identifica os desejos do coração e os expressa a Deus. Ela pode ser silenciosa ou audível. Pode ser tão simples como “Deus, sê propício a mim, pecador” (Lucas 18.13) ou tão detalhada quanto a oração sacerdotal de Cristo (João 17), na qual Ele derramou tudo o que desejava que Deus o Pai desse àqueles que acreditam no Senhor Jesus Cristo. A oração pode até assumir a forma de uma canção. Os Salmos são chamados de “as orações de Davi” (Salmo 72.20).

A oração cristã abraça a vontade de Deus como revelada na Escritura como a sua regra ou guia. O objetivo é pedir as coisas em harmonia com o que Deus quer para nós. As promessas da Aliança de Deus, seladas com o sangue de Cristo (1Coríntios 11.25) são a base mais segura para a oração (2Coríntios 1.20). Quando a vontade divina e a humana concordam com a regra de Deus, certamente a oração será respondida (1João 5.14-15).

A oração cristã desenvolve o modo como os crentes passam a confiar em Cristo mais e mais para tudo aquilo que necessitam ou são chamados a fazer, até mesmo para saber como orar ou para pedir a graça de continuar orando. Não temos nenhuma reclamação contra Deus, mas devemos confiar inteiramente no mérito e na intercessão de Cristo, além da indispensável assistência do Espírito Santo (Romanos 8.26). É por isso que Cristo nos ordena a pedirmos “em meu nome” (João 15.16; 16.24).

A oração cristã também é parte do nosso arrependimento pelo pecado. Na oração, confessamos os nossos pecados, pedindo a Deus que nos perdoe os pecados e suplicando a força de que necessitamos para abandoná-los e mortificá-los. Da perspectiva de Deus, um pecado verdadeiramente confessado é um pecado perdoado (Salmo 32.5). Além do mais, o mesmo Deus que perdoa o pecado purifica o crente de toda injustiça (1João 1.9).

Finalmente, a oração cristã é um ato de adoração (Salmo 65.1-2). Como chegamos a conhecer Deus em Cristo, somos movidos a louvá-lo como o Deus Todo-poderoso e nosso Pai celestial. Como nós experimentamos a obra de Deus em nossas vidas diariamente, aprendemos a agradecer pelos muitos dons perfeitos e bons que Ele nos oferece misericordiosamente por sua mão paternal (Tiago 1.17). Também aprendemos a nos alegrar nas provações, dificuldades, perdas e tristezas, pois estas coisas não vêm até nós por acaso, mas de acordo com a vontade de Deus de cumprir o seu propósito para nós (Romanos 8.28,29).

Temos muito que aprender para termos uma vida de oração verdadeiramente saudável. Ore por graça para abrir o seu coração à Palavra e ao Espírito de Deus, a fim de receber o conselho dessas meditações com uma mente ensinável e uma consciência moldável. Comece agora orando por um coração compreensivo e por graça para crescer no conhecimento de Cristo.

FONTE: James W. Beeke e Joel R. Beeke. Developing a Healthy Prayer Life. Grand Rapids, MI: Reformation Heritage Books, 2010. pp. xi-xii.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...