quarta-feira, 13 de abril de 2011

ROB BELL: UM IRMÃO PARA SE ABRAÇAR, OU UM LOBO PARA SE EVITAR?

John MacArthur Jr.

Se Christopher Hitchens ou Deepak Chopra escrevessem um livro zombando do ensino bíblico a respeito do inferno, não seríamos surpreendidos. Então, por quê alguém ficaria chocado ou confuso por Rob Bell escrever Love Wins? Bell tem demonstrado mais compromisso com a verdade do evangelho, ou alguma maior devoção ao princípio da autoridade bíblica do que Hitchens ou Chopra?

Rob Bell é um cristão verdadeiro, ou ele é um daqueles perigosos enganadores acerca dos quais a Escritura nos adverte repetidamente (Atos 20.29; 2 Coríntios 11.13-15; Colossenses 2.8; 2 Pedro 2.1, etc.)?

É uma justa – e necessária – pergunta. A famosa advertência de Cristo sobre os lobos em pele de cordeiro é dada a nós como um imperativo: “Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores. Pelos seus frutos os conhecereis” (Mateus 7.15-16). Nosso Senhor claramente espera que Seus verdadeiros discípulos sejam capazes de detectar impostores espirituais e lobos em pele de cordeiro – especialmente aqueles que são fornecedores de falsas doutrinas mortais.

Rob Bell certamente se encaixa nessa categoria. Ele incessantemente põe em dúvida a autoridade e a confiabilidade das Escrituras. Ele nega a clareza da Bíblia, nega suas duras verdades, e ridiculariza algumas das características mais importantes do evangelho.

Admitido, Bell (que foi criado no movimento evangélico e é um aluno do Wheaton College) ainda insiste em se chamar de “evangélico”. Ele reiterou essa alegação recentemente, em uma entrevista em 14 de Março com Lisa Miller, onde ele afirmou: “Se eu penso que sou evangélico e ortodoxo até o osso? Sim”.

Um exame cuidadoso do ensino de Bell sugere, no entanto, que sua profissão de fé não é digna de crédito. Sua afirmação de que é “evangélico e ortodoxo até o osso” é, para ser franco, uma mentira. O ensino de Bell não apresenta nenhuma evidência de alguma convicção evangélica verdadeira. Se “cada árvore é conhecida pelo seu próprio fruto” (Lucas 6.44), não podemos abraçar com alegria Rob Bell como sendo um “irmão” só porque ele diz que deseja ser aceito como um evangélico.

Se, como disse Jesus, as Suas ovelhas ouvem a Sua voz e O seguem (João 10.27), então, temos que olhar com a máxima desconfiança alguém que duvida e nega tanto o ensinamento de Jesus, como faz Rob Bell, e ainda afirma ser um seguidor de Jesus Cristo.

As Escrituras são claras a este respeito: “Se alguém ensina outra doutrina e não concorda com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo e com o ensino segundo a piedade, é enfatuado, nada entende” (1 Timóteo 6.3-4).

O evangelicalismo histórico sempre afirmou a autoridade, a inerrância e a suficiência da Escritura, enquanto declara (como Jesus e os apóstolos fizeram) que o único caminho de salvação para a humanidade decaída é através da obra expiatória de Cristo, o único instrumento de justificação é a fé em Jesus Cristo como Ele é revelado no evangelho.

Rob Bell não acredita em nenhuma dessas coisas. Seu ceticismo sobre muitas verdades bíblicas centrais, a sua propensão para semear a dúvida em seus ouvintes, e o seu óbvio desprezo pelos princípios da justiça divina, como ensinados nas Escrituras, dão provas de que ele é precisamente o tipo de falso mestre incrédulo acerca do qual a Escritura nos adverte.

Bell é um sincretista inveterado que adora misturar dogmas “progressistas” e politicamente corretos com o misticismo oriental, jargão humanista com teologia cristã. Seu ensinamento está repleto de ideias estéreis emprestadas diretamente do velho liberalismo, por vezes reformuladas no jargão pós-moderno, mas ainda cheirando ao obsoleto Socinianismo.

O que Bell está vendendo não é nada parecido com o Cristianismo do Novo Testamento. é uma religião antropocêntrica totalmente desprovida de clareza e autoridade bíblica.

Dadas estas circunstâncias, você pode pensar que qualquer evangélico verdadeiro rejeitaria Bell e o seu ensinamento, em definitivo. Porém, evidentemente, muitos no movimento evangélico americano acham que são obrigados a aceitar, de forma simples, a alegação de fé, de que Bell é ortodoxo. Ninguém menos que Mart DeHaan, a voz da Radio Bible Class, criticou os críticos de Bell, retratando-os como facciosos por apontarem a debilidade do ensino de Bell. DeHaan escreveu,

Eu pergunto... estamos permitindo que o amor (e a verdade) vençam agora... usando ameaças de pressão do grupo e votos contrários a irmãos como Rob, e aqueles que aberta ou secretamente ficam com ele? Será esta, realmente, a melhor maneira de manter uma ortodoxia forte e saudável? [Grifo nosso]

A resposta bíblia à pergunta de DeHaan é clara e bastante simples: a melhor maneira de manter uma ortodoxia forte e saudável é “[apegar-se] à palavra fiel, que é segundo a doutrina... para exortar pelo reto ensino como para convencer os que o contradizem. Porque existem muitos insubordinados, palradores frívolos e enganadores... É preciso fazê-los calar” (Tito 1.9-11).

Temos o dever de, não apenas expor, refutar e silenciar os erros de Rob Bell, mas também de exortar as pessoas sob sua influência a correrem tão rápido e para tão longe quanto puderem, para não serem lançados no inferno eterno que ele nega. Não irei sentar de braços cruzados enquanto alguém que nega o inferno produz, em massa, filhos do inferno (Mateus 23.15).

Em uma série de posts esta semana, demonstraremos, a partir das obras publicadas pelo próprio Rob Bell, que ele tem sido, durante muito tempo, hostil a quase todas as verdades vitais do evangelho; consideraremos algumas das perguntas que ele levantou sobre o que a Bíblia tem a dizer sobre o inferno; e compararemos e contrastaremos o que Bell está dizendo sobre o inferno com o que Jesus disse sobre isso.

Prepare-se e esteja pronto para ser desafiado. Essas são, reconhecidamente, algumas das verdades mais difíceis no Novo Testamento, mas não existe nenhuma razão para crer que sustentar convicções evangélicas tornará o assunto confuso ou controverso.


FONTE: http://www.gty.org/Blog/B110412

TRADUÇÃO LIVRE: Rev. Alan Rennê Alexandrino Lima

2 comentários:

Em defesa da graça disse...

Excelente texto! Obrigado por traduzi-lo e compartilhá-lo. Deus o abençoe!
Nelson Ávila.

Max Gama disse...

Muito obrigado por traduzir o texto. Que o Senhor o abençoe!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...