quarta-feira, 13 de abril de 2011

O GRUPO VOZ DA VERDADE: A VOZ DA MENTIRA E DO ENGANO

A pergunta que me faço com mais frequência é esta: Aonde o evangelicalismo brasileiro vai parar? Isso por conta das esquisitices, bizarrices que aparecem dia após dia. Algo que também me impressiona, ainda que negativamente, é a falta de discernimento evidenciada pela maioria daqueles que se dizem “evangélicos” em terras tupiniquins. Já comentei um pouco sobre isso no post a respeito do livro A Cabana. A ausência de discernimento também pode ser notada no consumo de música. Inúmeros são os jovens “evangélicos” que consomem material de bandas católico romanas, como por exemplo, a conhecida Rosa de Saron. André Valadão tem grande responsabilidade nisso? Creio que sim! Entretanto, não é sobre uma banda explicitamente católica que quero falar.

Dias atrás ocorreu um fato que me deixou muito entristecido. Em Marabá, cidade onde moro e exerço o pastorado, há uma boa livraria evangélica frequentemente visitada por mim. Na última visita que fiz, não pude deixar de notar que lá estavam expostos à venda diversos CDs e DVDs do conhecido grupo musical Voz da Verdade. Senti-me profundamente incomodado com aquilo, e, resolvi questionar a gerente sobre a comercialização de material de uma banda extremamente herética. Apresentei os argumentos contra aquela prática. Falei das heresias do ministério por trás do grupo. Esclareci a origem adventista do grupo. Entretanto, fiquei profundamente triste quando, após arrazoar, a gerente disse: “Pastor, não julgue para não ser julgado! Eu não posso retirar o material, pois ele vende muito! Existem pessoas que chegam aqui e criticam muito o Voz da Verdade, mas, mesmo assim, levam os CDs, pois gostam das músicas. Além disso, enquanto eles forem enquadrados no segmento evangélico não deixarei de vender material deles!”. Após esta resposta me calei, mas não porque ficara sem argumentos, mas porque vi que não valia a pena jogar pérolas aos porcos e dar aos cães o que é santo (Mateus 7.6). O mesmo se deu no seminário onde dou aulas de Teologia Sistemática. Recentemente discutimos a doutrina da Trindade e, quando apontei o erro do referido grupo musical, uma aluna vociferou: “Ah, pastor, não podemos ser tão radicais assim! Eles fazem um louvor que é tremendo!” Ironicamente, esse é o raciocínio típico de quem desistiu de raciocinar!

I – A HERESIA MODALISTA E O VOZ DA VERDADE
O Dr. Paulo Romeiro, professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie e autor do best-seller Super Crentes, falando sobre a dimensão da crise do discernimento, escreveu o seguinte em outro livro: “Um outro fato preocupante é a facilidade com que os adventistas do Sétimo Dia circulam pelos corredores evangélicos com seus conjuntos musicais como o Prisma, Prisminha, Arautos do Rei etc.”. [1] É verdade que hoje o Voz da Verdade possui um “ministério” próprio. Não obstante, no início ele era ligado à seita herética fundada por Ellen G. White. E, mesmo tendo rompido com suas origens, o Voz da Verdade possui suas próprias heresias perniciosas, sendo que a pior é a negação veemente da doutrina da Trindade e a defesa de uma heresia antiga chamada de Modalismo. Este termo foi empregado pela primeira vez, pelo historiador alemão, Adolf von Harnack, “para descrever o elemento comum a um grupo de heresias relacionadas à Trindade, que eram associadas, ao final do século II, a Noetus e Praxeas e, no século III, a Sabélio”. [2] M. James Sawyer nos oferece uma síntese a respeito dessa heresia:

Modalismo (lat. modus, “forma, modo”). Originário do início do século III, o modalismo rejeitou a doutrina da Trindade e argumentou que o único Deus se revelou ao mundo em modos diferentes e sucessivos, mas que em cada uma dessas manifestações era o único Deus verdadeiro que se revelava. No AT, ele revelou-se como Pai, nos Evangelhos como Filho e depois da ressurreição como Espírito. Os pais da Igreja responderam, argumentando que se, Cristo era o Pai, é o Pai que sofre na cruz. (lat. patripassus, “o pai sofreu”). O modalismo é também conhecido como monarquianismo modalista, sabelianismo (segundo seu proponente, Sabélio) e patripassianismo. [3]

Sabélio viveu em Roma, no início do século III. Ele ensinava “a existência de uma mônada divina (que chamava de Huiopatur), que, por um processo de expansão, se projetou sucessivamente na revelação como Pai, Filho e Espírito Santo. Como Pai, revelou-se como Criador e Legislador. Como Filho, revelou-se como Redentor. Como Espírito, como doador da graça”.[4] De forma elaborada, o esquema era o seguinte:

1. O Deus único é revelado como o criador do mundo e da lei. De acordo com esse modo, Deus é conhecido como “o Pai”.
2. O mesmo Deus é, a seguir, revelado como salvador, na pessoa de Jesus Cristo. De acordo com esse modo, Deus é conhecido como “o Filho”.
3. O mesmo Deus é, posteriormente, revelado como aquele que santifica e dá a vida eterna. De acordo com esse modo, Deus é conhecido como “o Espírito Santo”.
[5]

Epifânio, bispo de Salamis, por volta do ano 375 d.C., escreveu uma obra chamada Adversus Haeresis. Nessa obra ele diz o seguinte sobre Sabélio:

Recentemente obteve notoriedade um tal Sabélio, que deu seu nome aos sabelianos. Suas opiniões, salvo algumas exceções insignificantes, coincidem com as dos noecianos. Os sabelianos vivem, quase todos, na Mesopotâmia ou em Roma; foi loucura que os trouxessem para que permanecessem. Ensinam que o Pai, o Filho e o Espírito Santo são uma só e mesma essência, três nomes apenas dados a uma só e mesma substância. Propõem uma analogia perfeita tomada do corpo, da alma e do espírito do homem. O corpo seria o Pai; a alma seria o Filho; enquanto o Espírito Santo seria para com a divindade o que o espírito é para o homem. Ou tome-se o sol: o sol é uma só substância, mas com tríplice manifestação: luz, calor e globo solar. O calor... é (análogo a) o Espírito; a luz, ao Filho; enquanto o Pai é representado pela verdadeira substância. Em certo momento, o Filho foi emitido como um raio de luz; cumpriu no mundo tudo que cabia à dispensação do Evangelho e à salvação dos homens e retirou-se para os céus, semelhantemente ao raio enviado pelo sol que é novamente incorporado a ele. O Espírito Santo é enviado mais sigilosamente ao mundo e, sucessivamente, aos indivíduos dignos de o receberem. [6]

O propósito de Sabélio parecia louvável. Sua intenção, como afirma Louis Berkhof, era “manter a unidade de Deus, embora seu interesse primário pareça ter sido cristológico, a saber, a conservação da plena deidade de Cristo”. [7] Entretanto, nenhum propósito é verdadeiramente nobre quando lança mão de heresias e distorções do verdadeiro Evangelho.

É exatamente essa a doutrina defendida pelo famigerado grupo Voz da Verdade. Deve-se salientar que, o grupo já defendeu sua heresia em rede nacional, através do seu programa de televisão, na Rede TV. Quantos evangélicos e membros de denominações históricas foram influenciados? Só Deus sabe! Tomem-se como exemplo algumas afirmações de estudos extraídos do site [8] do grupo. Em um estudo intitulado Deus é Um, Suely Moysés Cufone afirma o seguinte (a ortografia, bem como a pontuação é sofrível):

Em Is 45:18 Portanto assim diz o Senhor que criou os céus, o ÚNICO DEUS, que formou a Terra, que a fez e a estabeleceu; que não a fez para ser um caos mas para ser habitada:EU SOU O SENHOR E NÃO HÁ OUTRO. O Deus do Velho Testamento é o mesmo do Novo Testamento. Deus se fez homem e habitou entre nós. Em apocalipse 1:8 e Ap 22:13 está escrito Jesus é o alfa e o ômega ou seja o princípio e o fim. Se Ele é o princípio e o fim significa que não existe outro. Comparando com o Velho Testamento em Is 44:6 Assim diz o Senhor ,Rei de Israel , seu redentor,o Senhor dos Exércitos : EU SOU O O PRIMEIRO E O ÚLTIMO E ALÉM DE MIM “NÃO HÁ DEUS”. O mesmo Deus que disse esta frase no Velho Testamento é o MESMO Deus do Novo Testamento, não é e nem pode ser outra pessoa distinta. JESUS falou: Eu sou o alfa e o ômega, o princípio e o fim. Não pode haver 2 pessoas distintas falando a mesma coisa. Deus não muda. Ele é o mesmo ontem, hoje e eternamente. [9]

Mais à frente, a autora e uma das líderes do grupo, afirma de forma clara e inequívoca o seu modalismo:

Vou dar um exemplo simples sobre a água. Sua fórmula é H2O , se eu apresentar somente o hidrogênio na natureza , não obterei a água,assim se eu tiver apenas o oxigênio também não obterei a água. Para eu obter a água preciso de H2O e se eu separá-los deixo de obtê-la. Se eu dividir ou separar os componentes da água, não vou obter a água. Assim é Deus. Deus não se divide. Ele é ...por isso Ele usou a expressão...EU SOU... porque simplesmente Ele é o Todo-Poderoso e ponto final. Esta água é apresentada na natureza em 3 estados físicos: sólido, líquido e gasoso. É A MESMA ÁGUA (H2O)QUE PODE SE APRESENTAR DE VÁRIAS FORMAS. Como já disse se eu separar a fórmula da água deixo de obtê-la. Não posso chamar de água somente o hidrogênio e também não posso chamar de água somente o oxigênio. Se as partes distintas forem apresentadas isoladamente na natureza deixam de ser a água. Assim é Deus, não posso dividi-Lo. O nosso DEUS,é o MESMO DEUS ÚNICO , QUE SE MANIFESTA (ou se apresenta) DE VÁRIAS FORMAS: COMO PAI(CRIADOR) COMO FILHO( como REDENTOR) E Hoje como ESPÍRITO SANTO (como CONSOLADOR, nos guiando a Toda Verdade).Porque a Bíblia é clara ao falar do Criador: DEUS ÚNICO. [10]

Para tentar contestar a doutrina da Trindade o pernicioso, nefasto e herético grupo Voz da Verdade lança mão de argumentos débeis e exegeticamente falaciosos. Por exemplo, contestando o plural Elohim e o uso da preposição min com um sufixo plural, corretamente traduzida por “de nós”, o grupo Voz da Verdade diz o seguinte: “Um estudo cuidadoso de Gênesis 3:22,23,24, onde aparece ‘nós’, revela que Deus está se dirigindo a querubins ou anjos eleitos, que juntamente como Ele, eram conhecedores do bem e do mal”. [11] O inusitado é que uma leitura verdadeiramente atenta da passagem em questão não leva à conclusão de que Deus esteja se reportando aos anjos. Muito pelo contrário, o plural empregado meramente dá a ideia de uma pluralidade de pessoas. Deus não poderia estar falando com os anjos, visto que, se assim fosse, os anjos seriam co-criadores, e este não é o caso.

II – A CRENÇA DO CRISTIANISMO HISTÓRICO
A fé que foi entregue uma vez por todas aos santos (Judas 3) confessa a existência do único Deus, que subsiste em três pessoas distintas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Isso fica claro, por exemplo, no Credo de Atanásio, subscrito pelos três principais ramos da Igreja Cristã, e no conhecido Credo de Nicéia (325 d.C.). O Credo de Atanásio diz o seguinte: "Mas a fé universal é esta, que adoremos um único Deus em Trindade, e a Trindade em unidade. Não confundindo as pessoas, nem dividindo a substância. Porque a pessoa do Pai é uma, a do Filho é outra, e a do Espírito Santo outra. Mas no Pai, no Filho e no Espírito Santo há uma mesma divindade, igual em glória e co-eterna majestade". [12] Já a formulação credal de Nicéia diz o seguinte:

Cremos em um só Deus, Pai onipotente, criador de todas as coisas visíveis e invisíveis.
E em um só Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus, gerado pelo Pai, unigênito, isto é, da substância do Pai, Deus de Luz, Luz de Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, gerado e não feito, de uma só substância com o Pai, pelo qual foram feitas todas as coisas, as que estão no céu e as que estão na terra; o qual, por nós homens e para nossa salvação desceu, encarnou-se e se fez homem, e sofreu e ressuscitou ao terceiro dia, subiu ao céu e novamente deve vir para julgar os vivos e os mortos.
E no Espírito Santo.
[13]

O Dr. Heber Carlos de Campos chama a nossa atenção para o fato de que “Nicéia afirmou a distintividade do Filho em relação ao Pai”. [14] Isso fica claro a partir da oração: “Deus de Luz, Luz de Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, gerado, não feito, de uma só substância com o Pai”. A expressão em destaque indica que uma Pessoa é distinta da outra. Como o Dr. Heber coloca: “Ser um com o Pai sugere que ele e o Pai são pessoas distintas. Ele não era o Pai, mas um com ele”. [15] Tal entendimento é corroborado pela passagem de João 1.1: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus”. Além disso, como explicar a passagem que narra o batismo de Jesus: “Batizado Jesus, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre ele. E eis uma voz dos céus, que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” (Mateus 3.16,17). Não há como interpretar as duas passagens acima sem perceber a distinção entre as Pessoas da Divindade. Na primeira, o Verbo estava com Deus. Na segunda, as três Pessoas são apresentadas de maneira tão clara que, somente sendo enfatuado e obstinado é que alguém consegue negar a Trindade.

O que mais me incomoda, é a completa desconsideração para com as advertências das Sagradas Escrituras em relação às heresias. O apóstolo João, em sua segunda epístola, coloca as coisas de maneira muito clara: “Todo aquele que ultrapassa a doutrina de Cristo e nela não permanece não tem Deus [...] Se alguém vem ter convosco e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem lhe deis as boas-vindas. Porquanto aquele que lhe dá boas-vindas faz-se cúmplice das suas obras más” (vv. 9-11). Impossível ser mais claro! Não podemos ter nenhum tipo de comunhão com aqueles que são apontados pela Palavra de Deus como falsos mestres, pois “assim é o enganador e o anticristo” (2 João 7).

O que se requer dos evangélicos brasileiros é que se arrependam do seu pecado! Que parem de consumir material produzido por aqueles que são inimigos declarados da cruz de Cristo. Os cantores acreditam naquilo que cantam, e cantam a partir daquilo que constitui a sua crença, a sua visão de mundo. No passado, homens deram suas vidas para defender a tradição apostólica, a doutrina apostólica. Seremos tão levianos ao ponto de desprezarmos suas lutas e darmos as mãos a pessoas que negam a Trindade e deturpam a Palavra de Deus para sua própria condenação?

Kyrie Eleison!

NOTAS:

[1] Paulo Romeiro. Evangélicos em Crise: decadência doutrinária na igreja brasileira. São Paulo: Mundo Cristão, 1999. p. 16.

[2] Alister E. McGrath. Teologia Sistemática, Histórica e Filosófica: uma introdução à teologia cristã. São Paulo: Shedd Publicações, 2005. p. 382.

[3] M. James Sawyer. Uma Introdução à Teologia: das questões preliminares, da vocação e do labor teológico. São Paulo: Vida, 2009. p. 624.

[4] Craig A. Blaising in Walter A. Elwell (Ed.). Enciclopédia Histórico-Teológica da Igreja Cristã. Vol. 2. São Paulo: Vida Nova, 2009. p. 544.

[5] Alister E. McGrath. Teologia Sistemática, Histórica e Filosófica: uma introdução à teologia cristã. p. 382.

[6] Epifânio de Salamis in H. Bettenson. Documentos da Igreja Cristã. Sâo Paulo: ASTE, 2001. p. 81,82.

[7] Louis Berkhof. A História das Doutrinas Cristãs. São Paulo: PES, 1992. p. 72.

[8] http://www.vozdaverdade.com.br

[9] Suely Moysés Cufone, Deus é Um. Estudo disponível em http://www.vozdaverdade.com.br.

[10] Ibid.

[11] O QUE O MINISTÉRIO VOZ DA VERDADE PREGA E CRÊ. Disponível em http://www.vozdaverdade.com.br.

[12] O Credo de Atanásio, In: Paulo Anglada. Sola Scriptura: A Doutrina Reformada das Escrituras. São Paulo: Os Puritanos, 1998. pp. 180-182.

[13]
Credo de Nicéia in H. Bettenson. Documentos da Igreja Cristã. p. 62.

[14] Heber Carlos de Campos. As Duas Naturezas do Redentor. São Paulo: Cultura Cristã, 2004. p. 157.

[15] Ibid. p. 158.

23 comentários:

jucelino souza disse...

Caro prof. Alan Alexandrino,

Após a leitura deste post considerei o desenvolvimento do seu conteúdo necessário, oportuno e bastante esclarecedor. Para mim mesmo, que não tinha as informações a respeito do Grupo A Voz da Verdade, que doravante será tido também por mim pela alcunha insinuada, A Voz da MENTIRA ou do ENGANO, sobejamente comprovada como pertinente. Forte abraç. e obrigado - Rev. Jucelino Souza

Milton Jr. disse...

Alan, o texto está muito bom, parabéns!!!

Quanto à influência do grupo ou desse pensamento, estive há algumas semanas conversando com uma irmã em BH e falamos sobre a Trindade. não é que ela me perguntou justamente sobre essa besteira aí do H2O?

Os evangélicos brasileiros precisam amadurecer muito e entender que não existe neutralidade em nada, sobretudo, naquilo que se canta..

Por meio dos cânticos a igreja tem sido desdoutrinada, se é que esse termo existe.. hahaha

grande abraço.

Alan Rennê disse...

Grande Jucelino,

Obrigado pela visita. Pois é, meu irmãos, os membros de nossas igrejas consomem esse tipo de material e acabam esposando ideias heterodoxas. Precisamos mesmo combater tais infuências nefastas.

Grande abraço!

Alan Rennê disse...

Milton (psiquiatra) Jr. rsrsrsrsrsrs

Rapaz, esse argumento da água é um dos mais idiotas que já vi. Desconhecimento total da distinção ensinada pelas Sagradas Escrituras.

Precisamos vigiar sobre os cânticos contemporâneos, pois, realmente, eles são uma porta de entrada para várias doutrinas perniciosas.

Abração!

David Lima disse...

Muito bom o post! Realmente esclarecedor. É triste ver como o matreiro satanás vem dispersando sua semente no ceio da lavoura de Deus. A falta do discernimento advém da falta de conhecimento. Dificilmente hoje encontramos membros na igreja que sejam versados em defender sua fé. A grande maioria tristemente engole o que vê pela frente, principalmente em se tratando de música.

Igreja Batista do Verbo disse...

Parabéns. É preciso não nos acovadarmos diante de heresia tão grave. Recentemente, em um programa de rádio, falei sobre como é nociva a mensagem deste grupo e recebi críticas. Mas, como disse Spurgeon, devemos fazer o correto e deixarmos as consequências com Deus. Um abraço, George Gonsalves (igrejabatistadoverbo.blogspot.com)

Fiel disse...

Olá Professor!

Amo este Blog!
O SENHOR tem me Abençoado muito com o que tenho aprendido aqui.

Concordo "ipsis litteris" com a matéria em questão a respeito da "Voz da verdade": ESCLARECEDORA!

Percebi em seu perfil que entre suas bandas prediletas está Bon Jovi e a muito tempo estou intrigado.
Aproveito a oportunidade para perguntar: teria esta banda, Bon Jovi, a “facilidade de circular em algum corredor” de nossas vidas quando a mesma declara na música Homebound Train: "When I was just a boy the devil took my hand. Took me from my home, he made me a man." (Quando eu era apenas um garoto o demônio tomou minha mão, me levou de casa e me fez um homem.)?
John Francis Bongiovi (Bon Jovi) declarou certa vez que seria capaz de matar sua mãe e até venderia sua alma por causa do rock an roll. Veja outras pérolas aqui>> http://www.reocities.com/SunsetStrip/9096/declaracoes1.html
Seria ESCLARECEDOR, nem que fosse para eu apenas, que você falasse um pouco sobre Bon Jovi; embora sua declaração a respeito de sua predileção pela banda seja pública. E, quem sabe INFLUENCIADORA.
Não trago esta questão com nenhum sarcasmo ou querendo constrangê-lo. Apenas gostaria de saber como posso ensinar à Luz da Palavra se é bom este tipo de gosto e favoritismo por uma banda que faz tais declarações. E, se temos que ser imitadores de Cristo, em que estaríamos imitando Cristo com tal atitude?

Em Cristo,
Claudio Santos

Alan Rennê disse...

Olá Cláudio,

Muito obrigado pela visita e pelo comentário. Agradeço também, de coração, pelo afeto demonstrado para com este simples blog.

Primeiramente, quero que saiba que não tomei o teu comentário como demonstração de sarcasmo ou tentativa de constranger-me. Pelo contrário, encarei-o, nas palavras de Francis Schaeffer, como uma “dúvida verdadeiramente sincera”.

Sobre o meu gosto por Bon Jovi, o que posso dizer é que, houve uma época (nos idos da década de 90 e início da de 00), em que o meu gosto, não só por Bon Jovi, mas por outras bandas, era acrítico. Ouvia apenas por ouvir, apenas porque gostava do som (na época não entendia nada de inglês). Não obstante, com o passar do tempo comecei a ser mais crítico e seletivo em relação ao que escuto. O que quero dizer, é que passei a abordar a questão como um todo a partir da análise de cosmovisões. Nós, reformados, devemos estar cientes de que não podemos dividir a realidade em dois compartimentos estanques – secular e sagrado –, pois tal ideia é medieval. Não existe essa divisão em nenhuma área de nossas vidas. Isso quer dizer que, não é pecado consumir música comercial (chamada por muitos de “secular”). O que precisamos, é ter boa base bíblica a fim de dialogar com a nossa cultura, perceber os pontos de apostasia nas mais diversas manifestações culturais, criticá-los (não no sentido pejorativo, mas em termos de análise), e sermos pró-ativos na produção cultural que glorifique a Deus.

Continua...

Alan Rennê disse...

O apóstolo Paulo, por exemplo, em algumas passagens interessantes das Escrituras (Atos 17.28; 1 Coríntios 15. 33 e Tito 1.12) cita os poetas pagãos Arato, Menandro e Epimênides. Com certeza, eram homens ímpios, descrentes e que não temiam a Deus, não obstante, Paulo foi crítico e maduro o suficiente para descartar o que era ruim e aproveitar o que era expressão da verdade. Os Reformadores cunharam uma expressão para isso: “Toda verdade é verdade de Deus”. Os estudiosos da Cosmovisão Reformada denominam isso de “momentos de verdade”.

Aplicando isso ao Bon Jovi, com certeza, muitas declarações em entrevistas e em letras de músicas são infelizes (conferir, além das citadas por ti, a música Something for the pain, do álbum These Days). Entretanto, momentos de verdade podem ser percebidos com muita facilidade em muitas músicas: Always, Bed of Roses, I Want You, These Days, Dry County, In These Arms, que falam do amor e do cotidiano de uma forma muito bela.

Cláudio, glorificamos a Deus quando não desprezamos a cultura em suas mais variadas manifestações, mas, em vez disso, interagimos com ela e, de posse de conhecimento bíblico, somos maduros para analisá-la e também produzi-la. O que é dito sobre Bon Jovi deve ser aplicado a todo tipo de música. E o que é verdade sobre a música, aplica-se a todas as formas de manifestações culturais: livros, filmes, TV e etc.

Gostaria de indicar alguns livros na área de Cosmovisão Reformada, para o amado, que, com certeza, muito ajudarão:

Francis Schaeffer. O Deus que Intervém. São Paulo: Cultura Cristã.

_______________. A Morte da Razão. São Paulo: Cultura Cristã.

_______________. O Deus que se Revela. São Paulo: Cultura Cristã.

_______________. A Arte e a Bíblia. Viçosa: Ultimato.

H. R. Rookmaaker. A Arte Não Precisa de Justificativa. Viçosa: Ultimato.

Charles Colson e Nancy Pearcey. O Cristão e a Cultura. Rio de Janeiro: CPAD.

_______________. E Agora, Como Viveremos? Rio de Janeiro: CPAD.

Nancy Pearcey. Verdade Absoluta: Libertando o Cristianismo do seu Cativeiro Cultural. Rio de Janeiro: CPAD.

Harry Blamires. A Mente Cristã. São Paulo: Vida Nova.

Um grande abraço! Deus te abençoe!

Fiel disse...

Olá Professor!

Graça e Paz!

Muito obrigado pela presteza em me responder.

Lendo sua resposta pude reconhecer que o apóstolo Paulo estava certo: “Se alguém julga saber alguma coisa, com efeito, não aprendeu ainda como convém saber”; tenho que aprender muito, ainda.

Aprendi, também, como responder alguém que é leigo em determinado assunto.

Posso copiar umas postagens daqui e colocar e meu blog.

Deus te Abençoe!

Claudio Santos

Alan Rennê disse...

Cláudio,

O sentimento que trago sempre comigo é exatamente esse. Nada sabemos; somos muito carentes de conhecimento. Meu irmão, estamos juntos nesse aprendizado.

Fique à vontade para fazer uso das postagens.

Um grande abraço, e que o Senhor te abençoe e te guarde!

Marta Sarah disse...

meu bom reverendo. Louvo a Deus por sua contribuição, para a labutosa tarefa da reflexão biblica-teologica de nossos dias.dias de terríveis heresias e modismos... Que nosso bondoso Deus continue iluminando-o grandemente.

Rev. Tarciso Sarah

blogtiagomendes disse...

A paz!

Quanto ao grupo, uso o mesmo conceito que o amado usa em relação a banda secular Bon Jovi. Fato é que há divergências doutrinárias do Ministério, quanto ao que a bíblia coloca, e eu particularmente vejo em relação a Trindade, e ao batismo.
Agora... usando o mesmo princípio colocado em relação ao Bon Jovi, seria antagônico atribuir alguns conceitos aos evangélicos que, assim como eu,são "consumidores" daquilo que o conjunto traz em suas canções. Muitos que hoje falam da doutrina defendida por eles (que deixo claro, divergem em alguns aspectos do que a bíblia traz), não conhecem as canções de autoria do grupo, ou não colocam em prática o que Paulo enfatiza, "examinar TUDO, reter o que é BOM", e examinando aquilo que o conjunto traz em suas canções, é um conteúdo de primeiríssima qualidade, em suas letras e seus arranjos, e reconhecido por isso. Fico analisando o que Jesus diria de nossa geração, onde muitos cristãos que poderiam ser considerados fariseus de nossa época, doutores da lei, mas que não observam o maior mandamento, o amor, fico triste de ver isso, e espero que tais cegos, possam enxergar algo tão primordial.
Para concluir, ressalto a resposta de Cristo ao escritor de um evangelho, três epístolas e o livro da revelação, Apocalipse, quando este, ao falar que havia impedido a um homem de expulsar demônios no nome de Jesus, por não andar no meio deles, Jesus responde algo que serve pros nossos dias, não só para aqueles que não tem visão espiritual das coisas, pra todos nós, e essa resposta que todos nós conhecemos, reflitamos nela, pra não sermos os "fariseus" de nossa geração.

blogtiagomendes disse...

Aaaaaa quando analisarmos as questões como um todo, e não apenas em um aspecto ou outro... fato é quanto a questões doutrinárias, há sérias divergências quanto a chamada Trindade, e ao batismo, mas... alguém lembra o que Paulo enfatiza, examinar TUDO, reter o que é BOM?
Não podemos nos abster do que a Palavra nos ensina, da mesma forma não nos autointitularmos retertores da verdade, e aqueles que não estão conosco, como mentirosos, ou já esquecemos do que Cristo disse a João, escritor de um evangelho, três epístolas e o livro da revelação, o apocalipse, quanto este impediu a um de expulsar demônios no nome de Jesus? O fato de eles pregarem que o Pai, o Filho e o Espírito Santo são um, e não três, como nós cremos, não "sataniza" suas belas canções, porque se fazemos isso, fazemos pior que a quem difunde tais doutrinas, afinal estaríamos dizendo que mentem quando cantam "Santo é o Senhor dos exércitos, Ele é Santo", ou "Cristo é a resposta pra você, Nele está a vida, a força pra viver", e por aí vai...se tivermos essa mentalidade, então NÓS precisamos de conversão urgente.

Heresia Tô Fora! disse...

olá Alan!!!

Parabens pelo post, gostaria de sua autorização para publica-lo em meu site, www.heresiatofora.com.br, dede já grato.

Abraços!

Alan Rennê disse...

Heresia Tô Fora,

Muito obrigado pela visita e pelo comentário.

Autorização concedida!

Grande e fraterno abraço!

ok disse...

Ouvi muitos LPS do voz da verdade, há mais de 20anos, mas só recente soube de seu unitarianismo, e hoje de sua origem adventista. Complicado, os unitarianos dizem q Deus é único indivíduo, e q são 3 manifestações Dele, e os do Tabernáculo do Senhor até dizrm q quando Jesus esteve aqui, o céu ficou vazio da presença pessoal do pai. Os trinitarianos dizem q Deus uni e ao mesmo tempo desdobrado em 3 pessoas distintas, mas iguais em natureza, ,poder e autoridade. Não sei se todos trinitarianos, pois parece não haver idéia unica entre eles. Muitos dizem, o próprio Jedus afirmou, "quem me vê, vê o pai" " eu e o pai somos um" . Qual a diferença entre os grupos, a não ser q os tri. só enfeitam o mesmo unitarianismo, com pessoas, enquanto este não, mas ambos dizem q 3 saão manifestações do mesmo e unico uni individual ser divino. A palavra trindade, cm dizem as testemunhas de Geová, nem aparece na bibla, embora implicitamente a vemos. É, pois é complexo, pois o próprio Jesus tb. afirma q "o pai q o enviou é maior q Ele" Bem cm escrito, Ele subsistindo em forma de deus, se humilhou e se fez servo, se evaziando dela. "Sendo a exata expressão do ser de Deus, sustendo todas as coisas com a palavra de seu poder, e Nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade". Sendo gerado por Deus, é Deus tb., mas não o todo poderoso, não sendo o próprio pai? Logo temos 2 indívíduos divinos q formam a divindade, onde só o Pai existe sempre, mas o filho foi gerado por Ele em outro tempo, não tendo existido sempre? O próprio JeSus afirma,"tenho comunhão contigo desde o princípio". Q princípio, senão o dele, e não o di Pai! A menos q seja só forma de falar ao homem p q entenda, temos 2 Deuses, um q é criador, e outro gerado por Ele. Em deus não há mudança e nem sombra de variação, mas Jesus muda de forma. E o Espírito Santo de Deus? A biblia não diz,o Deus Espírito Santo, cm diz q Jesus é Deus. Pouacas notícias temos da pessoa do Espírito Santo, o qual ainda mais diferente, pois parece estar submetido tanto ao Pai cm ao Filho, e não perdoa quem peque contra Ele diretamente. A humanidade se constitue de bilhões de pessoas, e divindade de 3 pessoas? Ou é só forma de falar ao homem p entendermos? Fica a dúvida cruel! A fundo ninguém explica de forma convincente a todos!

ADRIANA MONTREAL disse...

FICO COM A BIBLIA, QUE DIZ QUE NOS IREMOS PRESTAR CONTA INDIVIDUALMENTE PERANTE O SENHOR JESUS, NAO CABE A NOS JULGARMOS NINGUEM!!!!!!

charles frota disse...

largue a teologia e conheça Jesus!

Alan Rennê disse...

Charles Frota,

Obrigado pela visita. Sobre o comentário:

1. Dizer "largue a teologia e conheça a Jesus" é fazer teologia, e uma péssima teologia, uma teologia acéfala.

2. Por estar fazendo teologia, posso mostrar como teu comentário pode ser aplicado a você mesmo. Já que o que você está fazendo é teologia e que, segundo VOCÊ, quem faz teologia não conhece a Jesus, posso dizer que você não conhece a Jesus.

O que digo a você é: Largue essa tolice, essa idolatria, essa indisposição em estudar as Escrituras, essa facilidade de se deixar enganar por hereges, arrependa-se disso e conheça a verdade!

Assim, largue o erro e se submeta à verdade!

Joélio Costa disse...

Pastor A paz do Senhor!
Documentário esclarecedor. Mais o que explica as centenas e centenas de vidas salvas, curadas através dos hinos do grupo, que eu conheço e vejo testemunhos em parte? A unção que há no louvor do grupo, a forma tremenda que o Espírito Santo usa o Pr. Carlos A. Moyses? Não querendo causar nem um tipo de contradição mais devemos nos preocupar com salvação de almas para o reino dos céus. Satanás esta tragando vidas em quanto isso vem querer difamar o Grupo com essa velha historia. Hoje o grupo é o mais querido na assembleia de Deus de todo Brasil, e olha que foi a primeira a não aceitar que os hinos do grupo fossem cantados em suas igrejas. Ministério Voz da Verdade é um ministério levantado por DEUS e ninguém pode tocar!

Silvio Silva disse...

Vamos adotar cânticos Mórmons e das Testemunhas de Jeová também, pois eles também ganham muitas almas! Adotemos também cânticos católicos, muçulmanos!
O Pastor que defende o Grupo Voz da Verdade por obras subam ao púlpito de vossas igrejas no próximo culto e entoem musicas de Pe. Fábio, pois afinal agrega multidões após si! Quanta hipocrisia e falta de discernimento!

Pastor Clayton disse...

Paz do Senhor;
Concordo com todo o ensino do pastor sobre este falso grupo voz da verdade, que de verdade só tem o nome. No ano de 1997, quando a CPAD fez uma revista bíblica para EBD sobre as seitas, e estava lá o grupo voz da verdade, mesmo sendo novo convertido, decidi em nunca mais comprar cd desta banda, porque a conclusão que cheguei foi que se comprasse estaria contribuindo para o avanço da propagação de uma seita. Estudei vários artigos do Paulo Romeiro, Natanael Rinaldi, Esequias Soares, do ICP sobre seitas e inclusive a voz da verdade. Tenho pleno convicção de se tratar de uma seita perigosa que usa a música para iludir e enganar as pessoas, principalmente os crentes. Certa vez o Carlos Moysés, Lider do grupo e do Ministério Voz da Verdade, sobre a passagem de Mt 3.16 disse, em seu discurso que Deus é grande para tentar explicar o fenômeno do Pai falando e Espírito vindo sobre Jesus.
Parabéns ao pastor, e sei, um pouco na pele o que é ser criticado por defender a verdadeira fé. Eu não entendo como pode os crentes deixar a bíblia só porque alguém canta músicas de teor atrativo, é por isto que o movimento gospel está acabando com a espiritualidade da igreja.
Deus é o Deus da verdade, seu Espírito é o Espírito da Verdade, não pode existir duas verdades ou mais, apenas uma. E a Bíblia nos aponta para Ela. Sem a trindade o Novo Testamento se torna uma confusão, João 17 seria algo fora do normal, pois, Jesus está orando para si mesmo. A oração do Pai nosso que diz "Pai nosso que ESTÁ nos céus..." como ele pode estar no céu e na terra ao mesmo tempo? É claro que se trata de pessoas distintas, mas com uma única natureza. Infelizmente, muitos crentes sem conhecimento da Palavra de Deus são capazes de defender até heréticos com a máxima "só Deus pode julgar". Mais o próprio Jesus nos mandou tomar cuidado com os falsos profetas, e para fazer isto precisamos identificá-los. Não vamos ser tão ignorantes deste jeito.
Parabéns pelo post e peço autorização para publicar em minha página do facebook sobre Defesa da Fé

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...