quinta-feira, 18 de junho de 2009

ANÁLISE DE "FAZ UM MILAGRE EM MIM" (Régis Danese)


Como Zaqueu eu quero subir
O mais alto que eu puder
Para te ver, olhar para Ti
E chamar sua atenção para mim
Eu preciso de Ti, Senhor
Eu preciso de Ti, ó Pai!
Sou pequeno demais
Me dá tua paz
Faço tudo pra Ti servir.

Entra na minha casa
Entra na minha vida
Mexe com minha estrutura
Sara todas as feridas
E me ensina a ter santidade
Quero amar somente a Ti
Porque o Senhor é o meu bem maior
Faz um milagre em mim.

CONSIDERAÇÕES SOBRE A LETRA
No primeiro verso o autor faz uso de uma Símile. Ele estabelece uma comparação implícita com uma personagem da Revelação bíblica no Novo Testamento: Zaqueu.

O desenrolar da letra faz referência a momentos da vida de Zaqueu, quando ele ainda estava morto em seus delitos e pecados (Como Zaqueu eu quero subir o mais alto que eu puder). Quando o Zaqueu da Bíblia subiu na árvore ele ainda não temia a Cristo. Então, a música faz uma associação com eventos da vida de um homem quando ele ainda vivia em impiedade. Quem canta, no caso, é um ímpio, visto que a letra é construída em 1ª pessoa.

O quarto verso diz: “e chamar sua atenção para mim”. Essa não era a intenção de Zaqueu. A intenção dele era apenas “ver quem era Jesus” (Lucas 19.3, 4). Ele não procurava chamar a atenção de Jesus. Pensar assim seria acreditar na heresia da “Graça Preveniente”, segundo a qual, o indivíduo recebe uma preparação que o capacita a “buscar e a aceitar Jesus”.

O mais sério está no Refrão: “Entra na minha casa/Entra na minha vida...”. Estes versos são completamente arminianos. Além disso, são completamente diferentes da narrativa bíblica. Em Lucas 19.1-10, Zaqueu não convidou Jesus para entrar em sua casa. Pelo contrário, a iniciativa partiu única e exclusivamente de Jesus: “Zaqueu, desce depressa, pois me convém ficar hoje em tua casa” (v. 5). Só após a palavra de Jesus foi que Zaqueu desceu.

Por último, como foi afirmado no início, quem está cantando é um ímpio, um Zaqueu pré-salvação. Não existe possibilidade de um ímpio se dirigir dessa forma a Deus antes do Espírito Santo regenerar o seu coração. Na verdade, o ímpio não sente o mínimo desejo de fazer isso.

Devemos prestar atenção nas letras das músicas que cantamos e desejamos introduzir no culto ao Senhor. As letras devem ser reguladas pela Bíblia, e havendo qualquer discordância, devem ser rejeitadas.

12 comentários:

VaH disse...

nao sei acho que quem pode julgar e so o grande DEUS o direito do julgo nao foi dado a nos..

Alan Rennê disse...

Olá VaH!

Agradeço de coração tanto a visita quanto o comentário feito. No entanto, tenho que discordar do teu ponto de vista, em razão do fato de que não é bíblico o conceito de que não podemos fazer nenhum tipo de julgamento. Tal argumento se apóia numa leitura parcial de Mateus 7.1. Se você continuar lendo o capítulo verá que Jesus dá orientações para um julgamento seguro. Por exemplo, pergunto a você: como saber quem é cão e quem é porco, para não jogarmos nossas pérolas e o que é santo a eles? Logicamente, algum tipo de julgamento é demandado. Um pouco mais à frente Jesus fala sobre os falsos profetas e o dever que temos de nos acautelar. Como saber quem é falso profeta? Logicamente, algum tipo de julgamento é necessário.
Além disso, em João 7.24, Jesus disse que devemos julgar não pela aparência e sim pela reta justiça.
Quando Paulo, que era um legítimo apóstolo, diferentemente dos pretensos "apóstolos" de hoje, pregou em Beréia, sua pregação foi colocada sob julgamento. Quando o texto de Atos diz que os bereanos examinavam nas Escrituras pra ver se as coisas, de fato, estavam corretas, o termo "examinar" no original grego possui o significado de uma investigação judicial apurada.
Infelizmente, tenho de dizer que teu raciocínio está errado, não se sustentando biblicamente, da mesma forma que a música em questão também não se sustenta.

No mais, muito obrigado pela oportunidade de interação.
Deus te abençoe!

Ricardo Morais disse...

Caro Alan,

Muito boa análise desta música. Devemos nos preocupar mais com o conteúdo bíblico, ou a falta dele, em músicas que são entoadas no culto ao Senhor.

Interessante é que muitos reformados, só o são teológicamente, mas liturgicamente e musicalmente são neo e pentecostais. Tremenda incoerência.

Alan Rennê disse...

Grande Ricardo,

Agradeço o comentário e concordo com você em gênero, número e grau. Fico espantado como as pessoas conseguem dissociar a teologia da liturgia. Dias atrás, deparei-me com um site de uma igreja ligada à IPB, que se descreve da seguinte forma: "Somos calvinistas na teologia, mas contemporâneos na liturgia". Dá pra entender?

Kyrie Eleison!

Lucas disse...

Alan, primeiro devo dizer que eu também tenho algum receio com essa música, e da primeira vez que li seu blog concordei com quase tudo que você dizia sobre a música. Porém hoje, volto aqui para comentar alguns pontos.

Primeiro, você diz que quem canta a música só poderia ser um ímpio, pois há a referência a um Zaqueu "pré-salvação". Gostaria de questionar uma coisa. Quando - por exemplo - canto a música, não estou dizendo que quero ser como ele, ter a vida que ele tinha, mas fica restrito a uma de suas ações: como Zaqueu, EU QUERO SUBIR. Só isso. Dizer que quem canta está querendo "ter uma vida como a de Zaqueu" está errado.

Depois, quando você diz que Zaqueu não queria chamar a atenção de Jesus, só queria ver "quem era Jesus". Agora eu questiono. A bíblia diz que ele queria ver "quem era Jesus" e não "quem era o homem que realizava milagres". Ora, a fama de Jesus todos conheciam. Sinceramente, não consigo acreditar que Zaqueu sabendo quem era Jesus (note que a bíblia cita o nome Jesus e não "um homem") subiria simplesmente por curiosidade. Outra coisa a notar é que Zaqueu era rico e poderoso. Você acha que ele precisaria passar pelo "ridículo" de subir em uma árvore para ver quem era Jesus? Ou, ele não poderia simplesmente mandar que trouxessem Jesus para que ele o conhecesse? Subir na árvore demonstrou quão humilde era Zaqueu, que apesar de muito dinheiro, não se importou sobre o que poderia acontecer (será que ele não poderia ser ridicularizado por subir na árvore?) para buscar por Jesus. Hoje acredito sim que Zaqueu de alguma forma quisesse chamar a atenção de Jesus, senão, é como falei, ele poderia simplesmnete mandar que o trouxesse diante dele.

Depois você fala do refrão que foge da narrativa bíblica. Primeiro, eu acho que não existe isso de puxar a referência com a história de Zaqueu. "Falamos" que queremos ser igual a Zaqueu. Ponto final. Agora, que já dissemos isso, eu te peço, entra na minha casa porque eu preciso de ti.

Bom, acho que é isso. Vale falar que eu não gosto muito da música (antes, eu achava ridícula, um absurdo). Ainda acho a música muito comercial.

Alan Rennê disse...

Olá Lucas!
Muito obrigado por sua contribuição ao Cristão Reformado!
Chamou minha atenção a forma respeitosa como você discordou de alguns pontos elencados por mim na análise da letra da música em questão. Quem dera todos aqueles que discordassem de nossas opiniões o fizessem com tanta fidalguia! Entretanto, quero considerar alguns pontos das tuas colocações.
Realmente, afirmo e reafirmo que quem está cantando é um ímpio, alguém morto em seus delitos e pecados. Para subsidiar esta afirmação, a letra da música tem papel crucial. Ademais, a figura de linguagem usada pelo compositor logo no início é determinante para isso. A símile é uma comparação. Existe algo falho em teu modo de ver minha colocação. Eu não disse que quem canta a música tem o desejo de ter uma vida moralmente desregrada. Minha única afirmação é que quem canta a música se compara a Zaqueu antes deste ser salvo por Jesus Cristo. A Bíblia não nos dá nenhuma informação sobre o estilo de vida de Zaqueu, com exceção do que o próprio diz sobre si, ao prometer restituir o que havia roubado das pessoas. O sentido da minha colocação é que quem canta se coloca na mesma posição de alguém morto espiritualmente.
Lucas, nossa reflexão deve se ater ao que a Bíblia nos revela sobre determinada passagem ou assunto. E a Escritura é clara quando afirma que o desejo de Zaqueu era ver quem era Jesus. De fato, a fama deste corria Israel. Entretanto, Zaqueu queria ver quem era o homem de quem tanto falavam. Ao subir na árvore, ele não tinha em mente chamar a atenção de Jesus. Para isso, leia e releia Lucas 19.3,4. Agora, o fato de que um homem baixinho estava em cima de uma árvore porque a multidão não lho permitia ver Jesus, por si só, é de chamar a atenção. E sim, era preciso que ele passasse pelo ridículo de subir na árvore, se não fosse assim, não teria acontecido e o evangelista Lucas não teria registrado. Era necessário que ele fosse ao fim de si mesmo, sendo humilhado para poder ser salvo por Jesus. A atitude de subir na árvore não se configura como uma demonstração de humildade como você afirma. Algo contraditório em tua argumentação existe aqui. Por um lado, você afirma que ele tinha a intenção de chamar a atenção de Jesus para si. Agora, você afirma que foi uma atitude de humildade. Pense comigo, se faço algo imbuído de uma pretensa humildade com a intenção de chamar a atenção de outrem, minha humildade é falsa.

Sobre o refrão, você afirma o seguinte: “Depois você fala do refrão que foge da narrativa bíblica. Primeiro, eu acho que não existe isso de puxar a referência com a história de Zaqueu. "Falamos" que queremos ser igual a Zaqueu. Ponto final. Agora, que já dissemos isso, eu te peço, entra na minha casa porque eu preciso de ti”.
COMENTO
Mais uma vez, insisto: A LETRA AFIRMA ALGO DIFERENTE DO QUE A BÍBLIA NARRA SOBRE O EVENTO. Leia e releia o texto.

Mariany disse...

acho que o sucesso foi tanto desta musica, que as pessoas ficaram com uma ponta de inveja. quem nao tem pecados que atirem a primeira pedra.

Victor Hugo disse...

Prezado Alan,

Você está de parabéns pelo comentário, pois tem um embasamento bíblico perfeito, que nos deixa bem claro a incoerência, e abre nossos olhos para as realidades que as fantasias do mundo nos oferecem....

Não tenho muito tempo de acessar a blogs, se puder queria que mandasse para mim por e-mail no victorhugo_997@hotmail.com.

Sou presbiteriano, e achei muito interessante seu blog.
Obrigado

ze.vr disse...

Oi, meu nome é Eliézer, gostei muito dessa analise. Eu estava vendo essa musica sendo cantada em muitos lugares e não conseguia acreditar que ninguém percebia essas incoerências na letra.

Eu quando ouvi ainda pensei no seguinmte, veja se você concorda:
No verso que ele diz que quer chamar atenção de Deus pra ele ainda me parece que ele quer dizer que Deus estava, desculpe a expressão, distraído, e graças ao cantor e a Zaqueu ele pode perceber que tinha sido relapso com ele.

Como Deus poderia não estar prestando atenção nele se Ele é onisciente e onipresente ?

Muito bom o seu blog.
abraços.

TRANSPORTE E SEGURANÇA NO VERÃO DE SALVADOR disse...

Graça e Paz.

Essa música como o irmão ai explicou eu já sabia que era herética, faltou a parte que ele diz que quer amar somente a Deus. Amarás seu Deus sobre todas as coisas e a teu próximo como a ti mesmo. ou seja prega o egocentrismo, um sentimento que junto com a vaidade vem tomando conta das igrejas, ou seja o resto que se exploda, onde fica a caridade? o amor ao próximo e a familia carnal e a espiritual?

Tem um comentario ai q fala da inveja. Discurso do engano usado por muitos que não possuem o discernimento. Não estamos julgando o Régis e sim sua música. E todo Pastor e Bispo tem obrigação de investiguar com as suas ovelhas a origem e significado das palavras utilizadas nas músicas.
Em momento nenhum na música aparece o nome de Jesus. então qualquer um pode ser esse Senhor.

Paz.

Anderson da Cunha Marques disse...

Parabéns Alan pela análise desta música. Penso a mesma coisa.
SOLI DEO GLORIA!

Anderson da Cunha Marques disse...

Parabéns Alan pela análise desta música. Penso a mesma coisa.
SOLI DEO GLORIA!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...